Simples Nacional e 3º Setor: novas fases do eSocial

O eSocial começou a valer para o 3º Grupo em janeiro deste ano com o envio do cadastro do empregador, mas as fases de implementação do eSocial irão até 2020.

Integram o Grupo 3: empresas do Simples Nacional (regime tributário que enquadra o maior número de companhias no Brasil), empregador e produtor rural pessoa física, microempreendedores individuais (MEI), sindicatos, condomínios, associações e entidades sem fins lucrativos.

Essas empresas devem seguir o cronograma de implementação do eSocial e ficar atentos às mudanças que serão impostas ao negócio no que se refere à organização, processos internos e externos e até mesmo cultura da empresa.

A implementação do eSocial no Grupo 3 se torna uma realidade mais próxima do dia a dia das empresas e alguns pontos merecem atenção durante todo o processo:

É preciso eleger uma equipe ou profissional para liderar o processo de integração da empresa ao eSocial. Como a plataforma lida com muitas informações importantes, vale ter atenção redobrada para estar preparado, principalmente no que diz respeito aos prazos de entrega.

Implementar o eSocial é sinônimo de cumprir de forma rígida as datas definidas na legislação trabalhista. A partir deste momento, não fará mais sentido enviar fora do prazo arquivos, comprovantes ou informações para o profissional de contabilidade.

Estabelecer processos que priorizem a organização e agilidade de transmissões deve ser um dos principais objetivos das empresas para que a implementação do eSocial ocorra de forma correta.

É importante não deixar para a última hora uma revisão de todas as informações pertinentes para o sistema do governo (tanto da empresa, como dos colaboradores). É possível fazer uma consulta de qualificação cadastral dos trabalhadores no portal do eSocial, Qualificação Cadastral eSocial.

A partir de julho do ano que vem, a implementação do eSocial no 3º Grupo chega na sua última fase. A obrigação da vez será o envio de dado relacionados a segurança e saúde dos colaboradores, por isso, vale ficar atento e começar desde já a organizar estas informações no padrão exigido.

O sistema segue regras rígidas e não é flexível. Um dos objetivos da criação da plataforma foi aumentar o nível de regulamentação no envio de informações referentes às obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas.

Agora é para valer, já está em pleno funcionamento para os outros grupos de empresas desde o ano passado, faz parte do presente dos empresários e empreendedores brasileiros que possuem funcionários.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *